segunda-feira, 6 de abril de 2009

REABERTO CASO VARGINHA! Principal pesquisador do caso NEGA TUDO!


A comunidade ufológica fica estarrecida com o depoimento de Ubirajara Rodrigues, o principal pesquisador do caso Varginha.
Surpreendendo a todos ele nega até mesmo a presença de extraterrestres no caso, mesmo tendo assinado um manifesto, junto a outros ufólogos de renome.
Motivo? Já foram cogitados diversos, inclusive a hípotese de pressão por parte de órgãos maiores e estrangeiros.
Quando estive em Varginha em 2006, percebi a indignação do companheiro Ubirajara, referente ao tipo de ufologia que estava sendo desenvolvida. Pouca seriedade, muita ufolotria...
Sua indignação quanto aos andamentos das investigações do caso Varginha vem do rumo que as coisas levaram, por por parte da prefeitura da cidade e de meios de comunicação. Mostrava que uns 90% do caso já estava indo para o lado do ridículo em muitas vezes.
Claro que as suas declarações em uma entrevista para revista UFO mês de maio (sai daqui uns dias ainda) deixaram muitos, como eu mesmo, sem base alguma. Mas lembro ainda que em uma conversa com ele durante uma tarde toda, ele me fez entender que realmente havia um certo exagero nas colocações da época do acontecimento que marcou Brasil e Varginha na história mundial da ufologia.

TRECHOS DA ENTREVISTA.
Aqui coloco trechos da entrevista, confiram na íntegra quando sair nas bancas. Vale a pena.
UFO — Integrantes de movimentos céticos, numa atitude de visível de má-fé, têm usado suas afirmações mais contundentes, ora distorcidas, ora fora de contexto, para que seu público seja levado a crer que você, pioneiro e ícone da Ufologia Brasileira, hoje contesta a própria existência dos discos voadores? O que fala sobre isso?
Ubirajara — De anos para cá me convenci de que o que é estabelecido sobre bases não sólidas, somente se tornará útil em termos de conhecimento se for contestado. Durante muito tempo me senti mal quando alguns contestavam minhas afirmações ou apontavam equívocos de ordem dialética no meu trabalho. Então resolvi atacar o problema pela raiz, ou seja, escolher minhas próprias certezas para ver até que ponto elas poderiam ser mantidas. É o que se chama simplesmente de reflexão, isto é, o ato de se dobrar novamente sobre os próprios conceitos e idéias. Cheguei à conclusão de que, se por um lado acreditamos na existência objetiva de discos voadores, em razão do grande número de depoimentos e casos registrados através da história, não é por isto que podemos considerar tal existência incontestável. A existência de discos voadores é, sim, muito contestável.
UFO — Algumas pessoas alegam que hoje você está cético quanto à fenomenologia ufológica. Isso é verdade ou apenas seus critérios ficaram mais refinados com o acúmulo de experiência em todos estes anos?
Ubirajara — Os céticos certamente não gostariam de me ver rotulado como um deles. Brincadeiras à parte, se é que entendo o que seja ceticismo, aceito a possibilidade de o homem obter o conhecimento da realidade objetiva, plausível e hipoteticamente bem embasada. Se sou cético, diria que da linha de um ceticismo relativo. Podemos conhecer a verdade em parte, mas acho que, como ufólogos, quando temos por parâmetro que um disco voador é necessariamente uma nave extraterrestre, estamos dando um tiro na escuridão da verdade essencial das coisas. No escuro do cosmos. Um tiro que, se alguns físicos estiverem certos sobre a curvatura do espaço, um dia vai nos atingir a nuca. Ainda aceito que o Fenômeno UFO seja real, mas o problema é que estamos, durante os mais de 60 anos de existência da Ufologia, tentando construir uma realidade incompatível com o que conhecemos. Só porque, diante de raríssimos casos que não comportam explicação conhecida, pensamos “só pode ser extraterrestre, não há outra possibilidade”. Ora, isso é crença pura. Tal posição é direito de quem crê, mas outros também têm o direito de não comungarem, literalmente, com uma Ufologia equiparável tão somente a uma religião.

UFO — Você acredita que seres extraterrestres possam se interessar e até nos ajudar a resolver enfermidades humanas, como vem sendo dito no meio ufológico de uns tempos para cá?
Ubirajara — Não acredito sequer em seres extraterrestres. Apenas aceito a possibilidade de existir vida em outros planetas, tal como admite a astrobiologia e a grande maioria dos astrônomos, como o citado Grinspoon, o falecido Carl Sagan e tantos outros. No entanto, a Ufologia precisa urgentemente ficar livre das minhas crenças. Eu posso cultuá-las à vontade, mas devo tomar o máximo de cuidado para que elas não influenciem a opinião pública através de meus atos irracionais, porque não se deve confundir crença ou fé com razão. O homem sempre acreditou na cura por inteligências externas a ele, existentes em um plano transcendental, chamado por alguns de espiritualidade, como se a expressão devesse ser sinônimo incondicional de mundo sobrenatural ou plano onde vivem espíritos. Isso não é novo, nunca acabará. Novamente apenas a título de ilustração, repito o que alguém certa vez me disse: “os homens substituíram os deuses por Deus, Deus por Jesus, Jesus por espíritos e agora substituem espíritos por extraterrestres”. Sim, extraterrestres que fazem supostas curas até em casas dedicadas a cultos dos espíritos. Seja como for, eu acredito que somente o homem possa se interessar por nos ajudar a resolver as enfermidades humanas, através da medicina, da biologia, da genética, de todas as ciências e disciplinas da área de saúde.

2 comentários:

  1. Chefe Zin (Jamboree)8 de abril de 2009 16:20

    Sempre Alerta! por acaso estava eu procurando sobre ufologia e me deparo com o teu blog. é uma honra pra mim saber que tu mantem esse projeto. Não sei se relembra de mim, fui pro Jamboree na argentina e tu foste conosco e o pessoal de Erechim. Desde já agradeço e gostaria de manter contato: Google Talk: marcoszin@gmail.com
    "May The Force Be With Us Always"
    Att St. Marc (ZIN)
    Erechim - RS

    ResponderExcluir
  2. Com certeza o Ubirajara recebeu uma visitinha dos homens de preto.

    ResponderExcluir